Hortas verticais e aromáticas!

5.11.13
Nas primeiras 2ªfeiras de cada mês, Aveiro em Transição convida todos a partilharem e receberem saberes práticos que nos permitam aumentar a nossa auto-suficiência e resiliência face à situação actual de dependência do petróleo e instabilidade económica.

E ontem foi dia da 1ª Oficina de Saberes Partilhados. No inicio eram poucas pessoas e receamos que que a chuva tivesse ganho mas não... Foram muitos os que quiseram saber mais sobre hortas verticais e plantas aromáticas. Para mim foi um sucesso ver tanta gente interessada em cultivar  as suas aromáticas em casa. O cultivo das plantas aromáticas só traz coisas positivas: efeito terapêutico, efeito degustativo, efeito medicinal, efeito diminuição da pegada de carbono, efeito biodiversidade,.... E se ao cultivo ainda juntarmos a reutilização de embalagens usadas... mais positivo ainda.

Nas hortas verticais apresentadas pela Sacha Vieira do Projecto Gerações às Hortas/Agor@Aveiro usaram-se garrafões de 5 litros, o facto de serem maiores possibilita um melhor desenvolvimento radicular das plantas e menos necessidades de rega. Uns garrafões, um pedaço de fio resistente, uns furos e uns golpes de x-acto e voilá, temos uma horta vertical.
Depois foi a minha vez de partilhar sobre aromáticas, as melhores combinações para sombra e para sol. Falei das aromáticas adequadas para o tamanho dos recipientes, do seu ciclo de vida, como preparar o recipiente para uma boa drenagem, o tipo de substrato a usar e por último, como propagar. As plantas a propagar por semente foram o manjericão, a salsa e os coentros. E como estamos no Outono porque não propagar por estaca o alecrim, os oregãos e a salva ananás. Foram muitas as perguntas, sobre as aromáticas, sobre o cultivo biológico, sobre as pragas e doenças. No final, bebeu-se uma caneca de chá. Querem saber qual é o tema da próxima oficina? Estejam atentos que logo se saberá.







Sem comentários:

Publicar um comentário

AddThis